Conheça os riscos da automedicação na terceira idade

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

riscos da automedicação na terceira idade

Não são todas as pessoas que procuram uma orientação médica sempre que sentem algo diferente, seja uma dor ou um mal-estar. Quando esses problemas se tornam rotineiros, são comuns os casos de automedicação. No entanto, essa atitude pode ser muito prejudicial para a saúde do paciente.

Os riscos da automedicação na terceira idade são ainda maiores. Estima-se que 25% dos medicamentos comercializados atualmente são utilizados por pessoas dessa faixa etária, seja para tratar uma doença crônica ou mesmo para aliviar problemas comuns do envelhecimento humano. Mas, o perigo está no uso desses medicamentos sem a prescrição e acompanhamento médico.

Na sequência, vamos apresentar os principais riscos da automedicação na terceira idade. Confira!

Reações adversas

Ingerir remédios por conta própria é um ato perigoso para todas as pessoas, mas os riscos da automedicação na terceira idade são maiores devido às reações adversas que as substâncias podem causar no paciente.

Isso porque boa parte dos medicamentos são desenvolvidos com base em estudos e pesquisas realizadas em pessoas jovens. Sendo assim, alguns componentes presentes nas fórmulas dos medicamentos podem causar reações diferentes no organismo dos pacientes da terceira idade, causando efeitos indesejáveis que prejudicam a saúde.

riscos da automedicação na terceira idade

Interferência no diagnóstico

Como vimos, um dos riscos da automedicação na terceira idade são os efeitos colaterais e os sintomas que podem surgir caso o paciente não esteja realizando um acompanhamento médico adequado. Por esse motivo, é comum ocorrer uma confusão do quadro clínico, o que deixa os pacientes preocupados por acreditarem que estão com sintomas de outras doenças.

Quando isso acontece, são recorrentes os casos de pessoas que procuram uma ajuda médica especializada, temendo ter uma doença grave. Mas, muitas vezes, esses sinais são decorrentes do uso incorreto da medicação. A dica é sempre procurar por um acompanhamento médico quando perceber que algo está diferente, além, é claro, de manter a rotina de consultas e exames em dia.

Desenvolvimento de problemas de saúde são um dos riscos da automedicação na terceira idade

No dia a dia, é difícil perceber os riscos da automedicação na terceira idade. Isso porque é comum as pessoas nessa faixa etária fazerem o uso contínuo de alguma medicação e utilizar outras substâncias para tratar uma dor de cabeça, resfriado ou enjoo, por exemplo. No entanto, o uso simultâneo de vários medicamentos pode causar outros distúrbios no paciente.

Por exemplo, o uso regular de cortisona leva a perda de potássio, aumentando o risco de arritmias do coração em pacientes que também utilizam digitálicos. Há também outras reações causadas pela automedicação que podem interferir no bem-estar da pessoa na terceira idade, os tranquilizantes e antialérgicos, por exemplo, elevam o apetite, já os digitálicos e anti-inflamatórios fazem com que o paciente sinta menos fome.

Vimos no artigo de hoje alguns dos riscos da automedicação na terceira idade. Para evitar surpresas desagradáveis, é importante realizar um acompanhamento médico regular e nunca ingerir um medicamento que não tenha sido prescrito pelo especialista.

Se você gostou da dica e quer continuar ampliando os seus conhecimentos sobre o tema, veja também em nosso blog o post que aponta 4 remédios que você não deve tomar na melhor idade.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×